12 março 2011

Primeira pessoa do singular.


Já me perguntaram porque eu gosto tanto de escrever na primeira pessoa do singular... Na hora eu enrolei e não pude dar uma resposta boa o suficiente para este questionamento, mas agora é a hora de conhecer a verdade. Eu preciso escrever sobre mim. Porque dói. Dói guardar todos os meus sentimentos dentro desse coração incontrolável e dessa mente constante. Me sufoca. Sinto tanta coisa. Sinto tudo e, às vezes, nada. Por isso escrevo sobre mim e sobre o que vivo, não exteriormente mas no mais íntimo do meu ser. Não quero ser julgada pelo que escrevo. Quero apenas ser ouvida. Sentida. Quero... Bom, na verdade não sei o quero. Creio que não há um propósito para escrever. Escrevo porque preciso. E talvez se não precisasse, escreveria também. Porque carrego em mim todos os sentimentos do mundo, os mais bonitos e os mais feios também. Preciso expelir tudo. Não posso guardar. Simplesmente não consigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opiniões sinceras são sempre bem vindas. Fique a vontade para comentar e eu responderei ao comentário em seu blog (caso não tenha blog, responderei por aqui mesmo).